Influência do uso de pontos de controle de campo na melhoria da acurácia dos dados coletados por meio de VANT nas periciais ambientais

Carlos Alberto Trindade, Júlia C. S. Nunes

Resumo


Este trabalho avalia a qualidade dos produtos gerados pelo processamento fotogramétrico de fotografias aéreas tomadas por veículos aéreos não tripulados (VANTs), os modelos digitais de superfície e as ortofotos. Foram realizados três conjuntos de produtos, sendo o primeiro com as fotografias aéreas com as coordenadas do VANT, o segundo com as mesmas fotografias, mas com a introdução de uma medida de escala e o terceiro processado com pontos de controle de precisão centimétrica na região de estudo. A comparação entre as discrepâncias entre os pontos presentes nas ortofotos e seus homólogos pontos medidos em campo, mostrou que o terceiro método é melhor quando se é necessária grande precisão. Em relação à medição da dimensão das áreas, identificou-se discrepância significativa entre a área medida sobre a ortofoto determinada sem pontos de campo e a área medida sobre ortofoto com pontos de campo. Por sua vez, a área medida sobre a ortofoto gerada sem pontos de campo, porém com uma medida de distância determinada (modelo escalado) apresentou discrepância em torno de 1% em relação à área padrão. Cada trabalho de perícia na área ambiental, onde se necessita realizar medição de áreas ou de volumes, possui especificações de precisão particulares, exigindo análise da metodologia a ser aplicada. A realização de um voo com uso de pontos de controle aumenta a confiabilidade do produto final, entretanto a realização de pelo menos uma medida de distância no modelo tridimensional se mostrou suficiente para aumentar a precisão da determinação de áreas nas ortofotos.

Palavras-chave


VANTs; Processamento Fotogramétrico; Precisão; Perícia Ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


American Society of Photogrammetry - ASP. Manual of Photogrammetry, 1966.

A. M. R. Ferreira. Utilização de aeronaves remotamente pilotadas para extração de mosaico georreferenciado multiespectral e modelo digital de elevação de altíssima resolução espacial. Anais do Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), 2013.

J. F. G. Monico. Posicionamento pelo NAVSTAR-GPS: Descrição, Fundamentos e Aplicações. 1ª ed. São Paulo: Unesp, p. 287, 2000.

I. R. Lemes, Influência do uso de pontos pré-sinalizados na qualidade de ortofotos geradas por imagens obtidas por RPAS, 12º COBRAC, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15260/rbc.v7i1.244

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.